Foto aprovada da pata gazela mulher Central do blog sem movimento

 

A pata da gazela é um romance datado de 1870, escrito por José de Alencar, esse romance urbano discorre na corte do Rio de Janeiro e inspira-se no conto a Cinderela; retratando as relações da alta classe carioca.

A ação da trama inicia-se na famosa Rua da Quitanda, onde encontra-se um tílburi ( pequena carruagem) parado, a espera de um servo. No interior da carruagem, encontram-se duas jovens damas: Amélia, jovem  bonita,    alegre e dinâmica  e sua prima, a reservada Laura.

Sem saber, Amélia  torna-se alvo da curiosidade de dois mancebos:Leopoldo e Horácio; Leopoldo, um jovem sóbrio e enlutado apaixona-se por um vislumbre do sorriso de Amélia.

O serviçal das damas  aparece esbaforido  contendo vários embrulhos de compras nas mãos. Por um deslize, uma pequena botina cai na rua.  A mesma é recolhida prontamente  por Horácio, um dos príncipes da moda.

O rapaz fica totalmente encantado pela pequena botina e começa uma peregrinação por bailes,óperas e reuniões  com o intuito de descobrir  a dona do pequeno objeto de sua adoração.

Ao observar Amélia junto de algumas amigas, o perspicaz Horácio  percebe que o rastro na areia eram dos mimosos pés que tanto amava.  Assim, o rapaz demonstra interesse por Amélia e passa a frequentar  a casa da jovem fazendo-lhe a corte.

Em um determinado dia, Leopoldo vê Amélia, na Rua do Ouvidor e ao observá-la subindo em uma carruagem comtempla um par de pés disformes.

Contudo, o amor do rapaz era puro e desinteressado, afirmando a si mesmo que ama a alma de Amélia e não suas deformidades.

Nas reuniões em casa de  Dona Clementina, Leopoldo tem a chance de conhecer Amélia. Os dois dançam e tornam-se amigos.

Em um baile na cidade, Leopoldo e Horácio encontram-se e os dois conversam  revelando que nutrem amor por uma donzela.

Indiscreto, Horácio confidencia a Leopoldo que não sentia nada por Amélia até descobrir que a pequena botina de número 29 pertencia a  ela.

Amélia, por sua vez escuta a conversação dos jovens e decide testar o amor do pretendente, convidando-o a visitar sua casa.

Horácio encontra  a jovem bordando e consegue ver um dos seus pés; espanta-se imediatamente por tratar-se do aleijão.

Decidido a terminar seu compromisso com Amélia, Horácio a acusa de dançar  com Leopoldo na casa de Dona Clementina. A jovem afirma que não  deixará de frequentar as reuniões na casa da idosa senhora.  Então rompe-se o compromisso do casal.

Leopoldo volta a rever Amélia, que  lhe conta ter ouvido a conversação dele e de Horácio. A moça diz que o ama e que sempre sentiu  afeição por ele.

Enquanto isso, Horácio acredita que os pequeninos pés que tanto  adora pertencem à Laura, prima de Amélia. Mas constata tratar-se de um equívoco.

E ao encontrar Amélia, o ardiloso jovem  tem a prova de que sua ex-noiva era dona dos pequeninos pezinhos.

Sem ao menos pestanejar Horácio retorna a residência de Amélia,  para tentar reconquistá-la e presencia  seu enlace matrimonial com o sincero e gentil, Leopoldo.

Assim, Horácio constata que o Leão teve suas garras  cerradas pela  a pata da Gazela.